Vida E Estilo É possível voltar ao corpo normal no pós-parto como Isis Valverde e Mayra Cardi? ~ Jornal Barreiras 24 Horas

Vida E Estilo É possível voltar ao corpo normal no pós-parto como Isis Valverde e Mayra Cardi?

 Isis Valverde e Mayra Cardi – Foto: Reprodução/Instagram
Enquanto muitas mulheres demoram meses para retomar a boa forma após o parto (o que é normal também), a atriz Isis Valverde e a ex-BBB Mayra Cardi mal saíram da maternidade e já exibem corpões de deixar qualquer um de queixo caído. Imagens que têm dado o que falar nas redes sociais nos últimos dias —- ironicamente chamadas por alguns de ”mães de novela”. Para alguns, um desaforo para as ‘mães comuns’. Para outros, uma forma de incentivo, e mais, elas vivem da imagem, ou seja, se exporem nas redes sociais faz parte do trabalho delas.
No entanto, a pergunta que fica é: será mesmo que é possível essa recuperação tão rápida sem o uso de intervenção cirúrgica?
Especialistas entrevistados pelo Yahoo dizem que SIM. Mas o tempo da recuperação vai depender muito de cada mulher. Há algumas que conseguem mais facilmente –dentre um e seis meses–, mas outras demoram um ano ou até mais. Tudo depende, é claro, das ações das mamães de plantão desde o pré-parto.
“O primeiro ponto a levar em consideração é quantos quilos essa mulher engordou na gestação. Claro que quem engordou 9 quilos tende a ter mais facilidade para voltar ao antigo corpo do que quem engordou 20 quilos”, destaca Rosiane Mattar, ginecologista obstetra e coordenadora científica de obstetrícia da Sogesp (Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo). Segundo ela, o recomendado é engordar em média 9 quilos durante os nove meses de gravidez.
grande erro da maioria das mães, segundo Mauro Abi Haidar, ginecologista e chefe da disciplina de Endocrinologia Ginecológica da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), é achar que como carregam uma criança no ventre podem comer por dois. “É assim que ganham mais peso do que o necessário. Basta manter uma dieta balanceada e sem excessos, cortando açúcar, sal e frituras.”
Como explica Rosiane, o parto por si só garante a perda imediata de cerca de 6 quilos, que inclui o bebê, a placenta e o líquido amniótico. Uma perda considerável, mas que, segundo a ginecologista, acaba deixando a barriga da mãe mais flácida e murcha.
 
O uso da cinta –que não é unanimidade entre os médicos– tende apenas dar uma maquiada na flacidez, que só vai desaparecer com o fortalecimento do músculo. E isso pode levar um tempinho também
Flacidez que, como aponta Haidar, costuma ser maior na segunda gravidez.

Tipo de parto, questões fisiológicas, tudo importa
Nos 40 dias que sucedem o parto, chamado de puerpério, a mulher também passa por muitas modificações físicas. “O útero, por exemplo, atinge 20 cm e vai regredindo gradativamente até os seus convencionais 7 cm de comprimento. A contratação é gradativa e pode levar um mês para ser concluída após o parto”, afirma Rosiane.
Tempo que, de acordo com Haidar, também costuma levar para o corpo da mãe eliminar o líquido retido na gravidez e para o rim metabolizar o turbilhão de hormônios naturais dessa fase da mulher.
A idade da mãe, assim como o tipo de parto realizado também contribuem diretamente com o tempo de resposta do corpo. “Quanto mais jovem for a mulher, mais jovens são as suas células e mais ágil são suas respostas”, explica Rosiane, que também afirma que a recuperação de partos cesarianos tende a ser mais lenta do que os partos normais pelas exigências de resguardo da intervenção cirúrgica.  

Mayra Cardi teve complicações no parto, mas após 20 dias publicou uma foto com a filha no colo e surpreendeu os seus 3 milhões de seguidores por da boa forma. “Vinte dias depois de passar por uma cesariana com complicações, com algumas idas e vindas ao hospital, por me dedicar 100% a minha bebê, sem babá, por opção nossa. Levantando de maneira errada da cama e todas essas coisas que mamães acabam fazendo por instinto. Outro dia estava trocando de roupa e meu marido se assustou dizendo: ‘Gente sumiu sua barriga toda’. Me perguntam o que eu fiz para perder a barriga.””
“Tenho comido muito, muito mesmo. Vocês que me acompanham veem o quanto de leite tenho, pareço uma fábrica exatamente por comer muito e bem. Afinal, para ter leite é preciso se alimentar bem. Comer muito não engorda. Ser saudável é comer bem. Não tem haver com comer pouco. Então, o que eu fiz? Me alimentei muito bem na gestação, minha bebê nasceu com 3.250 kg, bem, cheia de saúde e agora ela ganha peso cada dia mais, pois se alimenta muito bem de amamentação exclusiva”, escreveu a empresária de um sistema de emagrecimento.
Dieta balanceada, exercícios e muita água    
O grande segredo para conseguir perder os quilinhos que sobrarem após esse período é adotar uma alimentação balanceada, fazer exercício físico e tomar muito água, como recomenda Haidar e Rosiane.
Em geral, como aponta Haidar, as mães são liberadas a fazer exercícios físicos 30 dias após o nascimento do bebê, mas em alguns casos o médico pode liberar antes dependendo da rotina anterior da mulher. Mas ele lembra ser essencial que a mãe siga as instruções de seu médico pessoal.
 
Se você não está acostumada com exercícios, comece com atividades menos intensas, tais como uma caminhada
Rosiane recomenda que aos 15 dias a mulher inicie exercícios pélvicos, que auxiliam na diminuição do períneo –um conjunto de músculos do assoalho pélvico que ficam ao redor da uretra, vagina e ânus. “A partir do 30 dias, com a liberação do médico, é importante dar início ao fortalecimento do músculo da barriga com abdominais”, afirma ela. “Quanto antes começar esse processo mais rápido os resultados.”
Aliado aos exercícios é fundamental adotar uma alimentação saudável –a mesma recomendada durante a gravidez–, sem excessos de sal, açúcar e gordura. “Dietas restritivas não são recomendadas porque podem ser ainda mais prejudiciais para as mães que amamentam”, destaca Rosiane, que cita a amamentação como uma importante aliada na perda de peso. Isso porque, segundo a ginecologista, a produção de leite ajuda na queima de calorias.  
Claro que tudo isso tem que estar alinhado à mudança da rotina dessas mães natural à chegada dos bebês. O que não é nada fácil. “Para quem conta com o auxílio de familiares ou empregados, fica mais tranquilo conciliar o cuidado do bebê, como os cuidados domésticos e os cuidados com si mesmo”, acrescenta Rosiane. 
Redes:

TV BARREIRAS

PATROCINADOS

Anuncio!

 http://www.templateparablogspot.com/

Postagens mais visitadas

Arquivo do blog